Aceitem-se uns aos outros

Comunhão em Cristo

Nenhum outro grupo daquela época era igual a Igreja Primitiva – a do primeiro século depois de Cristo, quanto à diversidade e etnias, de formações religiosas e de classes sociais. Ali, na mesma igreja, se encontrava judeus, romanos, bárbaros, gregos, escravos, e livres, ricos e pobres. Essas pessoas traziam para dentro do Corpo de Cristo as mais variadas formações educacionais e culturais, divergentes pontos de vista sobre a vida, e diferentes escalas de valores. Em meio a tanta diversidade, era inevitável que surgissem problemas. Os Cristãos judaicos muitas vezes desprezavam os seus irmãos incircuncisos. Por sua vez, os gentios poderiam menosprezar os irmãos israelitas, por serem de um país insignificante e de um povo que rejeitara o Messias. Alguns cristãos eram mais avançados na vida cristã (ou, pelo menos, no conhecimento de fatos e doutrinas), e se consideravam superiores aos irmãos mais novos e fracos. Por essas e por outras razões, surgiam tensões entre indivíduos e subgrupos da igreja. Tão fortes eram, às vezes, essas tensões, que os cristãos tinham dificuldades para aceitar uns aos outros em total pé de igualdade.

Extraído 25 segredos para comunhão

Compartilhe essa página nas suas redes sociais:

Deixe uma resposta