A Colheita da Fidelidade

Colheita

A vida abençoada é o fruto da obediência irrestrita e continuada da Palavra de Deus. “Muito bem, servo bom e fiel… – Mateus 25:21. Este texto é apresentado na parábola dos talentos (vs.14-30). Talento é uma expressão de unidade financeira, com o peso aproximado de 32 kg, de ouro ou prata.

Nessa parábola, Jesus nos ensina uma linda e severa lição sobre a fidelidade na mordomia ou na administração dos dons, recursos (dinheiro), tempo, oportunidades, saúde etc., que Deus nos dispõe. Esta palavra de Cristo tem uma conotação escatológica, e faz referência à prestação de contas (2 Co. 5.10), ao juízo que testará a qualidade, e não a quantidade (v. 15) das nossas obras (l Co. 3.13).

Quem deseja ouvir um “muito bem, servo bom e fiel”, precisa esforçar-se para ser leal também nas menores e insignificantes coisas. Podemos servir a Deus por medo (v. 25), egoísmo (como Judas – João 12.6), ou amor.

Jesus destacou duas qualidades do servo da parábola: 1. Bom, do grego agathós, benévolo (tem sempre boa vontade), alguém que cumpre ao pé da letra seus deveres. 2. Fiel, do grego pistós, confiável, digno de confiança.

Em outras palavras, o Mestre valoriza o servo que atende às suas expectativas, que obedece à sua Palavra, que é útil no Reino, íntegro nos seus deveres, firme de propósito e é um exemplo para os demais. Portanto, ser fiel e sensível as necessidades do reino é a melhor decisão se desejamos ser aprovados.

Adaptado Coletânea de Aconselhamento

Compartilhe essa página nas suas redes sociais:

Deixe uma resposta