O Conceito Paulino de Comunidade

O Conceito Paulino de Comunidade

Comunidade Cristã

Paulo nunca escondeu seu pensamento de como uma igreja deveria funcionar. Ele jamais se desviou da sua opinião de que a igreja é uma genuína família ampliada em lugar da-quela entidade menos pessoal e mais institucional. Ele nunca sugeriu que a igreja local deveria se ocupar somente com um aspecto de sua atividade – supostamente religiosa – e somente com um aspecto de sua personalidade – a assim chamada espiritual’. Ele nunca minimizou sua crença no ministério da mutualidade e numa autoridade compartilhada no lugar de algo baseado em ordem litúrgica e liderança hierárquica.

O conceito paulino de comunidade continua sendo relevante para os dias de hoje porque flui diretamente do evangelho que ele pregou. Veja porque a visão paulina de comunidade deveria fazer parte da igreja atual:

1. FAMÍLIA – Devemos ser uma família cristã genuína porque Deus tem nos tornado parte integral de sua família, enviando-nos o “Espírito de seu Filho aos nossos corações, que clama „Aba, Pai!‟” (Gl 4:6). Ele nos chama para entrarmos num relacionamento real uns com os outros para que amemos “uns aos outros com a-mor fraternal” (Romanos 12:1O).

2. CÉLULAS – Cada parte de nós deve se envolver nesta comunidade porque cada célula do nosso corpo se tornou o ‘templo’ do seu Espírito (1 Co 6: 19). Cada aspecto de nossas vi-das deve estar envolvido, porque Deus reconciliou ‘consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão no céu (Colossenses 1 :20).

3. A CRUZ – A cruz mostra de forma dramática até que ponto Deus chegou para libertar os necessitados, e a sua ressurreição liberou novas capacidades às vidas das pessoas.

Intensivo de Reciclagem

Compartilhe essa página nas suas redes sociais:

Deixe uma resposta